Nesta segunda, 29. Orquestra recebe maestro italiano para concerto beneficente

1
161
Na Itália, Gianmario Cavallaro divide a paixão pelas orquestras com os corais – é diretor musical no Teatro di Milano e tem dois corais, um em Milão e outro em Trecate, onde vive |Fotos Divulgação

CONCERTO EM PROL DO ASILO PADRE EUCLIDES
Data: Segunda-feira, 29/05 | Horário: 20h |
Local: Teatro Municipal Camilo Fernandez Dinucci |
Pça. Coronel Rafael de Moura Campos, 27, Centro |
Ingressos: R$ 15, na bilheteria do teatro às 19h de segunda-feira (29)|


LEIA TAMBÉM
|| Convite ao italiano veio de Fernando Ortiz
|| Maestro da OSMB celebra crescimento dos músicos
|| Ingressos estão quase esgotados

 

Um encontro de nacionalidades. Esta é a denominação do concerto desta segunda-feira (29) da Orquestra Sinfônica Municipal de Botucatu (OSMB) feita pelo maestro Fernando Ortiz de Villate, que, desta vez, assistirá tudo da plateia.

A novidade desta apresentação, fazendo jus às palavras do músico, é que ele cederá seu lugar no palco do Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, à frente dos 36 artistas da OSMB, ao maestro italiano Gianmario Cavallaro.

Diretor musical do Teatro di Milano, na Itália, Cavallaro será o regente em um concerto que reúne o Brasil de Villa Lobos, a Itália – dele – e de Rossini, a Alemanha de Beethoven e a França, e também a Espanha, de Georges Bizet, com a apresentação de peças da ópera “Carmen”.

“Isso é uma surpresa para o público, as nacionalidades diferentes, mas tem que escutar”, destaca o maestro Fernando, que realizou três ensaios com os músicos da OSMB até deixá-los sob a regência de Cavallaro.

O convidado italiano ainda ressalta a dificuldade do que será apresentado.

“A expectativa é grande, porque o que vai ser apresentado não é qualquer peça, são peças trabalhosas. O maestro [Fernando de Villate] já trabalhou bastante nelas, mas eu que vou dirigir, então é uma grande expectativa”, declarou Cavallaro em entrevista antes do – único – ensaio com a orquestra botucatuense, realizado na última segunda-feira (22) no teatro.

Na ocasião, ele também lembrou outra característica do concerto: a causa beneficente. Os ingressos estão a R$ 15 e a renda será revertida para o asilo Padre Euclides. “Fazer música, arte, unir essas duas coisas e fazer o bem é uma coisa bela, e estou contente com esta oportunidade em poder contribuir”, disse.


Convite ao italiano veio de Fernando Ortiz

O tamanho da expectativa de Gianmario Cavallaro em reger os músicos da OSMB reflete a primeira impressão, boa, que teve da orquestra. O italiano, que diz que gosta da seriedade dos brasileiros – mais do que da nossa hospitalidade tão famosa lá fora –, notou esse atributo logo no convite feito por Fernando Ortiz de Villate para vir à cidade.

“Eu adoro o Brasil. O país é belíssimo e as pessoas hospitaleiras, abertas. Mas o que é importante para mim é a seriedade das pessoas, se falam que vão fazer, vão e fazem”, contou Cavallaro, citando o exemplo de quando conheceu Villate, em um concerto em Vinhedo em dezembro, onde o maestro da OSMB falou a ele sobre a orquestra de Botucatu e já emendou o convite para regê-la.

“Due parole e fatto!”, ou “duas palavras e feito”, elucidou o músico que deixa escapar frases em seu idioma durante a conversa, mesmo falando e compreendendo bem o português, digno de quem já visitou nove vezes o país por conta da música.

“Isso que é o bonito do nosso trabalho, quando tem esse encontro, essa sinergia, porque as coisas acontecem”, afirmou o italiano.

Além do Brasil, Cavallaro tem passagem com o seu trabalho por países como Canadá, Estônia e Rússia.

 


Maestro da OSMB celebra crescimento dos músicos

Na segunda-feira (22), os artistas da OSMB ensaiaram sob a regência do italiano

O maestro Fernando Ortiz de Villate comemora não só a vinda de Gianmario Cavallaro ao Brasil, como também o crescimento dos artistas da OSMB, que devem executar um repertório trabalhoso, a exemplo da “Sinfonia n° 1” de Beethoven.

“Toda orquestra quer tocar a famosa ‘5ª Sinfonia’ de Beethoven, mas precisa de uma preparação, e todo o programa deste ano e do ano passado está pensado nessa construção. A orquestra está crescendo agora com a ‘1ª Sinfonia’ de Beethoven que é difícil porque é sutil”, coloca Villate.

– “Beethoven é uma pintura abstrata, mas se não tocar direitinho, fizer bem feito, o público entende, porque a música tem esse poder, de explicar uma pintura abstrata através do som”, completa.

E a oportunidade de executar uma composição dessas sob a regência de um europeu faz tudo ainda mais especial.

“Aqui se respira bossa nova, samba, a ginga brasileira, e ele [o maestro Gianmario Cavallaro] respira Beethoven, Vivaldi… A Itália é o berço do canto lírico e ele vai trazer esse tempero europeu, e isso vai ser bom”, destaca o maestro.

Ele ainda ressalta que a vinda desses convidados de fora contribui não só para os músicos, mas para o próprio público.

“Tem um momento que a orquestra precisa ter outros convidados, porque isso ajuda. Se às vezes a orquestra não pode sair em turnês, viajar, porque é muito caro, precisa ter essas ferramentas, um solista, um maestro convidado. É bom para a orquestra, porque é outro conhecimento. E não pode se acomodar, se não o público sente”.

Gianmario Cavallaro é o segundo convidado externo da temporada 2017 da OSMB, em comemoração aos 30 anos da orquestra. A primeira foi a soprano Yasmini Vargas, do Rio Grande do Sul, que subiu ao palco do Municipal como solista no concerto de abertura, em março, que teve ‘casa’ cheia.

Esta também não é a primeira vez que a OSMB recebe um músico estrangeiro. No ano passado, por exemplo, o pianista peruano Ivan Marquina se apresentou com a orquestra, assim como o flautista dos Estados Unidos Ransom Wilson, que esteve com os artistas de Botucatu durante o Festival de Inverno de Campos do Jordão.

Reconhecido como um dos maiores flautistas de sua geração, Wilson foi selecionado pela própria organização do evento para se apresentar com a orquestra botucatuense, que encantou o público e os organizadores.


Ingressos estão quase esgotados

Concerto será o terceiro da temporada 2017 da OSMB, em homenagem aos 30 anos da orquestra

A expectativa do público para o concerto também é alta, tanto que restam somente cerca de 50 ingressos, que serão vendidos uma hora antes do espetáculo na bilheteria do teatro.

Os demais foram vendidos pelos “Amigos do asilo Padre Euclides”, responsáveis, há 12 anos, pela parceria na apresentação beneficente.

Na iniciativa, enquanto os músicos doam o trabalho e o talento, a entidade fica responsável pela divulgação e venda de ingressos.

“Somos um grupo de 50 amigos e cada um fica incumbido de vender 10 ingressos. Nossa intenção é a venda de 600 ingressos, o que resultaria na arrecadação e doação ao asilo de R$ 9 mil reais. O ano passado bateu na trave e conseguimos R$ 8 mil”, expõe Romeu Escolástico Filho, um dos amigos.

Ele completa que esses concertos são também prestigiados por convidados ilustres: idosos do asilo. “Eles amam”, conta o voluntário. “É uma parceria de sucesso”, comemora.  (Colaborou Angélica Masci)


Luciana Faria | luciana.fagoncalves@gmail.com
Luciana Faria é jornalista e atuou em Botucatu na editoria de cultura do jornal Diário da Serra. Trabalhou na assessoria de imprensa de órgãos culturais, como Mauricio de Sousa Produções, e editoras Escala e Nova Criação.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.