Está na internet então é verdade…. Será?

0
65
A internet virou terra fecunda para os adeptos do Discordialismo e da OM (Operação Mindfuck), ambos os movimentos têm como proposta propagar o caos e a mentira nos mais diferentes meios, plantando informações principalmente em meios de comunicação.
A tarefa, árdua no passado, devido ao filtro dos jornalistas e editores se tornou bastante simples pois atualmente praticamente qualquer pessoa pode montar um blog ou site e falar o que quiser, como quiser e para quem quiser. Inclusive você caro leitor.
O grande problema disso é que não podemos mais acreditar em quase nada que está na internet sem checar a fonte e verificar a origem daquelas informações. Digamos que o trabalho antes creditado a jornalistas, a checagem de informações, precisa se tornar rotina das pessoas comuns que estão diante do computador e que pretendem ficar bem informadas com fatos reais.
Ou seja a máxima: “Está na internet então é verdade”, se tornou uma piada irônica, pois as famosas fakes News (notícias falsas) se proliferam e por uma razão bem simples, elas dão lucro. Sim dão lucro!
Um sistema muito comum para se ganhar dinheiro na internet é através do conhecido Adsense, ligado ao Google, onde o editor de conteúdo ganha por acessos a seu site e cliques em anúncios.
Se o editor conseguir garantir o seu acesso, mesmo com uma mentira, ele já estará ganhando alguns centavos, agora imagine se ele for convincente o bastante e fazer com que você compartilhe aquilo na rede social, bom ele já ganhou mais alguns centavos e cada amigo seu que compartilhar a farsa garantirá mais lucro para o mentiroso.
Com isso, notícias como a do governo liberar o Bolsa Prostituta, para garotas de programa, tenho certeza você já se deparou com essa notícia, pois bem, se você observar o nome do suposto jornalista (não citarei aqui) autor do texto e pesquisar no Google verá que ele é autor de uma infinidade de mentiras, entre elas uma entrevista do Justin Bieber criticando o Brasil. Ambas viralizaram nas redes sociais de tão absurdas.
Nesse caso o mentiroso está ganhando dinheiro te enganando e ajudando você a passar vexame junto aos amigos que dividem com você a mesma rede social onde está compartilhando a farsa.
O pior disso tudo é que o Google não valoriza a verdade ele valoriza aquilo que todos estão valorizando, ou seja, se um uma notícia tem o link muito compartilhado, os robôs do site de busca Google vai acreditar que aquela notícia merece credibilidade e dará prioridade a ela em seu sistema. Ou seja a chance do primeiro resultado do site de busca ser uma piada ou uma mentira é enorme e muito possível.
Nessa onda de faturar por acesso temos uma outra prática que está ganhando bastante projeção e que nada mais é do que um caça níquel bastante utilizado.
Quem nunca se deparou com notícias ou curiosidades assim “Veja 21 fotos de ideias surpreendentes” (Exemplo), e quando você entra na primeira foto descobre que para ver a outra terá que clicar em outro link no final da postagem, Link esse que te levará para outra foto em outra página e assim sucessivamente 21 vezes, até você ver todas as fotos. Nesse caso o editor conseguiu com apenas uma pessoa garantir 21 acessos válidos e aumentar seus rendimentos com o Adsense.
Além disso tem a famigerada prática do Clickbait, um desses exemplos me deparei na semana passada e a manchete era a seguinte: “Veja o parente da Angélica que faleceu”, quando entrei no site percebi que a notícia de 10 linhas era referente ao seu cão de estimação. Não que o cão de estimação não seja importante na vida de uma pessoa, mas percebe que o único objetivo dessa chamada é realmente atrair sua atenção para acessar o site.
Um segmento dessa prática se utiliza muito do Youtube (uma das plataformas que mais garante rendimentos com o Adsense) e tem chamadas mais ou menos assim: “Estava andando na rua e olha no que deu”, a curiosidade atiça a acessar o link e é quando percebe-se que na verdade o que havia acontecido é que o cidadão parou para comprar sorvete e recebeu o troco errado (por exemplo), ou seja a proporção da chamada é inferior à própria notícia e visa apenas causar impacto para garantir acesso ao site.
Além de sermos enganados por pessoas de má fé existem ainda os casos de ingenuidade cometidos pelos próprios jornalistas, afinal eles são humanos. Essa semana uma mentira acabou tomando tons de verdade devido a um erro do jornalista, ou seja roubar celular com valor abaixo de R$ 500 não seria mais crime.
A notícia dada pelo R7 e repercutida na televisão tinha um erro básico, qualquer tipo de roubo é crime e não importa o valor, pois roubo preconiza tomar de forma forçada um objeto que não lhe pertence mediante ameaça, seja verbal ou com qualquer tipo de arma.
No entanto, o furto de objetos, ou seja quando lhe tiram algo sem você perceber no momento, tem outro tipo de pena e em alguns casos preconiza simplesmente em contravenção, e quando o furto é de objetos com valores menores que R$ 500 acaba sendo considerado furto de objeto de valor ínfimo, isso de acordo com o site Techmundo. Que esclareceu o mal ocorrido.
Nesse caso realmente a pena pode se converter em serviços comunitários ou até mesmo pagamento de cestas básicas.
Outra situação que devemos tomar cuidado é com a propagação de boatos, há cerca de um ano em um site aqui mesmo de Botucatu tinha uma notícia sobre um sujeito que estaria perseguindo mulheres em um bairro da periferia da cidade.
Lendo a notícia o que percebi é que na realidade ela repercutia uma postagem do Facebook, de uma senhora que na matéria não foi identificada, e que afirmou que foi perseguida por um sujeito baixo, moreno usando boné.
A foto da reportagem havia sido tirada do Google Street View e encerrando a matéria havia a informação de que a polícia faria patrulhamento pelo local. Ou seja, o profissional da comunicação não se deu nem ao trabalho de ir até o local ouvir a população, todo o seu trabalho foi baseado em uma postagem de Facebook.
Com isso as possibilidade de investigação séria da polícia foi frustrada, pois se alguém realmente estivesse perseguindo mulheres recebeu a informação e se esconderia, e a única coisa que a matéria realmente conseguiu foi levar pânico para aquela região.
Confesso, fiquei com pena de todos os morenos, baixos acostumados a usar boné que morassem naquele bairro, pois a matéria tornou todos suspeitos e no mínimo levariam uma geral da PM assim que saíssem de casa, isso se algum grupo de maluco não estivesse disposto a fazer justiça com as próprias mãos.
As mentiras também podem ser parciais. Como uma que me chamou chamou a atenção essa semana um ciclista foi atropelado por uma motocicleta, li a matéria em um site e percebi que havia uma foto, porém a foto não era nem da cidade. Um internauta descobriu a farsa e questionou sobre a imagem e foi informado pelo editor que aquilo era apenas uma ilustração da matéria. Não se conta uma verdade através de meia mentira.
Portanto caros leitores, não acreditem em tudo que está na internet, tenha sites de confiança onde a informação seja tratada com respeito e ética. Busque saber quem está por trás das notícias e suas reais intenções não saia compartilhando e acreditando em tudo o que está na internet.
Quando se deparar com alguma notícia que pareça estranha, absurda ou extraordinária outras fontes estão falando a respeito e que fontes são essas que estão tratando ao assunto. Se a matéria ou artigo for assinado faça uma busca na rede para checar se tal articulista ou jornalista realmente é uma pessoa real e não um personagem criado para te enganar e conquistar Views.
Internet e redes sociais devem ser usados com critério e ética.

Renato Fernandes escreve sobre tecnologia e redes sociais

Renato Fernandes é precursor na impressão 3D em Botucatu, atuando no mercado há aproximadamente 2 anos, é cosmaker especializado em máscaras com trabalhos distribuídos em todo o território nacional e exterior.
Atuou como jornalista por aproximadamente 20 anos respondendo pela área de cultura em diversos jornais da cidade, entre eles, Folha Serrana, Diário da Serra, Folha Regional, A Cidade e revista O Lojista. Edita o Blog Pano Hippie

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here