Prefeitos na região vivem primeiros problemas políticos e administrativos

0
312
Ricardo Salaro foi afastado pelos vereadores de São Manuel
ATUALIZADO – 19H30 –
Quase no fechamento do ano de 2017 os prefeitos e vereadores eleitos na região, em outubro do ano passado, já começam a sentir o desconforto do cargo e surgem os primeiros processos envolvendo Ministério Público, Tribunal de Contas do Estado e Legislativo, contra as autoridades.
Na região, nos últimos dias, foram constatados problemas envolvendo o prefeito de São Manuel, Ricardo Salaro, cassado em seu mandato executivo pela maioria dos vereadores da cidade.
Ele saiu das decisões administrativas da cidade na ultima sexta-feira, após entendimento de que o prefeito teria cometido improbidade administrativa ao pagar empresa terceirizada diretamente. Salaro promete recorrer da decisão nas instancias judiciais cabíveis.

EM BOFETE PODE DAR ZEBRA

Em Bofete há cerca de um mês o vice-prefeito Elias Antunes pediu afastamento do cargo e a cidade não tem mais vice-prefeito. Elias pediu para sair do governo alegando problemas pessoais, além do fato de que não estaria, conforme disse à imprensa, conseguindo implantar suas idéias na atual gestão. Antunes renunciou pela segunda vez a mandato pelo qual foi eleito.
A Câmara Municipal aprovou, em meados de Outubro, a criação de uma Comissão Processante contra o Prefeito Dr. Dirceu Antonio de Melo (PTB), por improbidade administrativa, “na aquisição de produtos e serviços sem licitação, desrespeito a ordem cronológica de empenhos e pagamentos”, entre outras acusações. Foram 7 votos a favor da Comissão Processante e  2 contra o processo ao prefeito.
A Comissão Processante de Bofete terá 90 dias para apresentar um relatório com a conclusão das investigações.
Em Bofete, como aconteceu a renuncia do vice-prefeito e se houver a cassação do mandato do prefeito Dr.Dirceu, a cidade será a primeira em toda a região a ser administrada pelo Presidente da Câmara, vereador Zebra Ramos (PSDB).

PRATÂNIA E AGUDOS

Em Pratânia, o chefe do executivo e os vereadores terão de explicar o aumento salarial do prefeito Davi Pires Batista, o vice Osmir José Felix, além do presidente da Câmara Jozimar Antonio Anibal.
A Prefeitura se defende alegando que o reajuste foi proposto pela Mesa Diretora da Câmara e não teve a participação do executivo.
Em Agudos a Câmara Aprovou Comissão Processante contra o prefeito Altair Francisco da Silva, por pagamentos que teria feito de forma irregular um prestador de serviços ao Município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here