Os vereadores aprovaram na segunda-feira,5, projeto de emenda a Lei Orgânica, que suprime o parágrafo, que proíbe o Município de subsidiar empresas que prestam serviços concessionados.
Apesar de a emenda abrir espaço para a passagem subsidiada dos usuários, a maioria continua reclamando dos atrasos, superlotação, excesso de velocidade dos veículos e constantes quebras.
As principais emissoras de radio da cidade abriram espaço para discussão sobre o relato de uma aluna do Instituto de Biociências,Beatriz Boza, que reclamou da superlotação na segunda-feira, na linha que sai às 18h10. A estudante contou que já entrou no ônibus no campus, superlotado e acabou descendo alguns pontos a frente, devido ao medo de acidente.
Reforçando a falta de qualidade dos serviços prestados, moradores do setor Norte, Jardim Cambuí reclamaram de atrasos, veículos quebrados, motoristas dirigindo e falando ou mandando recados via aplicativos como whatsapp, entre outros problemas.
“Chego quase todos os dias atrasado no serviço devido a quebras ou veículos que passam fora do horário”, protestou uma senhora que trabalha de doméstica. Outra reclamou que a linha do Cambuí tem muita velocidade e a usuária da linha teme um acidente no viaduto da região.
O Secretário Adjunto do Transporte Rodrigo Fumes afirmou que dez fiscais estão constantemente na linha e no ponto do Paratodos checando os horários. Ele ressaltou que nesta terça-feira a linha da Unesp no final do período vai ser fiscalizada. A empresa se comprometeu em colocar ônibus de reforço.

LEIA O PROTESTO DA ESTUDANTE

Passei por uma situação de desespero hoje.
A aula acabou e como sempre fui pegar o ônibus pra voltar pra casa, peguei no segundo ponto da UNESP, e ele já estava LOTADO, com pessoas em pé, pois bem, normal, isso é rotina… fui até o final e fiquei em pé também. Acontece que nos dois próximos pontos estava lotado de alunos, e foram “enfiando” todos pra dentro do ônibus e mandando a gente ir pra trás. NÃO TINHA MAIS COMO IR PRA TRÁS.

*Que fique bem claro que motorista e cobrador não são culpados, eles recebem ORDENS.*

O ônibus com dificuldades pra se locomover, estava com o dobro, triplo, quádruplo da sua capacidade.

A linha era a 217 Universitária/UNESP no horário das 18:10.

Essa publicação também serve para as pessoas que falam que os alunos da UNESP não precisam comer no bom prato pq são “filhinhos de papai que só bebem e vão em festa”
Será que esse ônibus, da linha UNIVERSITÁRIA, estava cheio de filhinhos de papai??
Nós temos o DIREITO de ter um TRANSPORTE DE QUALIDADE COM SEGURANÇA!!!!! E de comer bem também, mas isso não vem ao caso agora.

Essas situações estão recorrentes, a linha do centro (211) também vive lotada de gente em pé.
Mas hoje, especialmente, foi demais.
Varias pessoas assim como eu desceram do ônibus antes de ele sair da UNESP.

Minha vida tem muita importância pra mim e eu só queria chegar em casa! E eu só consegui chegar uma hora e meia depois…

Até quando isso vai ficar assim??? Cadê os donos dessas empresas?? Cadê o PREFEITO???? Vocês estão esperando um acidente e pessoas morrerem???
Pq gente, se tem um acidente com esse tanto de gente, é morte na certa. Só pensam em subir a tarifa, só pensam em cobrar impostos, mas cadê os nossos direitos??????

Espero que essa publicação chegue em seus devidos alvos pq isso não pode mais continuar assim!

 

Queremos PROVIDÊNCIA!

Beatriz Boza  (Foto do Facebook da autora)

2 COMENTÁRIOS

  1. Concordo com os problemas com ônibus na cidade, meu marido é usuário e sempre tem algum problema com o ônibus, quanto aos filhinhos de papai…eles lotam os ônibus só nós primeiros 3 meses, depois a maioria estão com seus carros pra ir pra Unesp…

  2. Concordo com Vc em relação a super lotação,sou motorista e vivo com constante receio de um veículo cruzar nossa frente num cruzamento onde derrepente não consiga frear o veículo a ponto de evitar colisão, se isso vier acontecer ,será sem dúvida uma catástrofe e não é difícil de acontecer.
    Quanto aos estudantes usar o restaurante não vem ao caso isso é outra história pois o principal ideal do texto é sobre o transporte coletivo não vamos misturar assuntos pra não contaminar a reportagem sobre o assunto ( Transporte ).
    Digo que os fiscais entram no ônibus sim mas não vi nada ser mudado pra melhor em favor do povo. Se eles coleta informacoes e levam adiante a prefeitura não aplica oque é preciso.
    Não é de hoje que existe super lotação.
    ” A prefeitura não trabalha pra resolver pois se trabalhassem já estaria resolvido”.
    As linhas são corridas a Cidade aumentou e os itinerários que fazíamos à 8, 10 anos atrás continua com o mesmo tempo de percurso ou seja:
    Ex: uma linha que tinha 1:00 hora de percurso a 8 anos atrás ainda fazemos com o mesmo tempo só que a Cidade expandiu, as linha a tiveram que chegar até Bairros que antes não tinha é que hoje chamamos tudo isso com o mesmo tempo que fazíamos.
    Temos uma telemetria, controle de velocidade que não permite ultrapassar os 60 kmh. Em rodovia e 50 vicinais, quando pegamos várias viagens com cadeirante tipo.ontem dia 06/03/18. Em 9 voltas só eu transportei 6 fezes cadeirantes. Fora a super lotação intensa em todas as voltas.
    Olha se o jornal quiser me contatar irei pessoalmente fazer uma entrevista.
    Pra abreviar ao texto .
    Obrigado a todos.
    Eduardo Campos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.