Professores da rede municipal de ensino de Botucatu mais uma vez se levantam o secretário Valdir Paixão, que pediu ao Juiz Eleitoral de Botucatu, exclusão de professores e funcionários da Secretaria Municipal de Educação, do serviço voluntário de mesário eleitoral, em outubro deste ano, durante as eleições. O pedido foi pela quantidade de servidores da pasta que se inscreveram como mesários eleitorais.
De acordo com documentos encaminhados por lideranças da categoria, no dia 7 de março, o secretário da Educação encaminhou requerimento ao Juiz Eleitoral Welligton Barizon, pedindo providencias na dispensa dos professores da rede municipal.
Assim que foram informados do pedido do secretário, um ofício dos professores e servidores da Educação foi encaminhado ao mesmo Juiz reivindicando desejo de exclusão voluntária e não via solicitação do Secretário, nas eleições deste ano, no dia 7 de outubro.
“Reiteramos através deste (oficio) que uma vez que seja de nosso interesse particular o desligamento da função de mesário, o faremos de forma pessoal e particular à Justiça Eleitoral e manifestando também nosso profundo desapreço por tal solicitação da Gestão Publica Municipal de Botucatu”, escreveu em nome da categoria Andreia Innocenti, em nome dos professores e funcionários da Educação Municipal de Botucatu.
O Cartório Eleitoral depois do pedido fez um estudo administrativo considerando as vantagens que os mesários têm por cada curso preparatório e no dia da eleição em trocar o voluntariado por descanso no local de trabalho.
Como são –em tese- dois turnos, são dois dias de descanso garantido pela legislação, alem de mais dois dias para cada dia de treinamento e trabalho.
De acordo com estudo encaminhado à Secretaria de Educação, são 98 professores e 68 funcionários públicos que estão cadastrados como mesários em Botucatu. Na fila de espera existem outros 50 professores e 51 servidores aguardando a convocação.
A cada 33 professores convocados para esta eleição, temos a ausência de um professor por dia, todo o dia, durante um ano letivo. A ideia é remanejar este julgo, (o gozo dos dias de folga da eleição) da educação para os demais órgãos públicos e a iniciativa privada”, observa o documento.
Igor Ignácio, chefe do Cartório Eleitoral de Botucatu.
Igor Ignácio confirmou a existência de pedido da Secretaria de Educação e informou que a decisão levará em conta o interesse coletivo em consideração a observação do Município, porém, sem prejuízo ao interesse da Justiça Eleitoral para a realização das eleições em Outubro.
Ele salientou que foram ampliadas as seções eleitorais em Botucatu e que algumas escolas na periferia ocorreram pedidos de exclusões  da função de mesário e que agora precisam ser preenchidas.
A Secretaria de Comunicação expediu uma nota: “A Prefeitura de Botucatu esclarece que a prerrogativa das convocações de mesários para eleição é total e única da Justiça Eleitoral”.

(Com jornal Leia Noticias)

5 COMENTÁRIOS

  1. Seria necessário que esse Sr. tivesse acesso a legislação que indica prioritariamente professores e servidores para tais funções e que também soubesse que ele não tem direito de tentar impedir a civilidade de qualquer cidadão, e que seus argumentos para tal, passam pelos direitos de outros. O prejuízo das crianças só existirá se a secretaria de educação não tiver como repor professores nos dias em que estes estiverem gozando de seus direitos, o que é um problema que tal secretaria deveria se preocupar, alias, as crianças já tem bastante prejuízo mesmo com interdição de ruas defronte a escolas, e com a falta de senso que leva pessoas a conduzirem verdadeiras anarquias sonoras defronte a escolas , com o conhecimento de autoridades e sem solução para tal, sem pensar no principal prejudicado, neste caso os aprendizes… vamos atentar ao que REALMENTE importa, sem tentar obstruir o direito de outros… Se é o aprendiz em primeiro lugar, que seja em todos os casos e não só nos que pretendem resolver com subterfúgios, os problemas que JÁ existem… O que se nota nesse caso, é uma tentativa de interferir na decisão pessoal do convocado. Ademais, os argumentos apresentados, levam em conta, cálculos feitos por alguém que simula uma realidade que nem sempre acontece, uma vez que cada profissional utiliza tal desconto de hora conforme suas necessidades e não de forma linear como se pretende demonstrar apenas para que o argumento tenha valia… Há muito mais questões na educação a se preocupar, do que tentar demonstrar de forma equivoca um ponto de vista….. Prevendo represálias, infelizmente não se pode nem identificar-se…

  2. E o direito coletivo da categoria com estudo universitário necessário ao Tribunal Eleitoral que por Cidadania quer exercer sua Democracia.??? Onde fica para o Secretário???
    Que inves de PUNIR A FORMAÇÃO de seus profissionais deve adequar os outros servidores ao mesmo nível de formação… Não apenas de Vale Alimentação ou de FUNDEB.
    Contratar de acordo com o número de alunos realmente matriculados e não construir prédios sem equipe pronta.
    Preparar adequadamente o pessoal da Educação Especial para atender com ou sem LAUDO a todos os transtornos e dificuldades de aprendizagem de todo o município.
    E por aí vamos…
    Escola acadêmica é instrução… Não depósito.
    Atenciosamente professora há 28 anos.

  3. Até nossos nomes foram enviados
    O dinheiro investido em projetos passados de cor azul, em tecnologia encostas por falta de internet ou espaço físico não é prejuízo nem p o aluno , nem p o nosso bolso!! Alunos com dezenas de comprometimentos sem laudo e com laudo temos que socorrê los do mesmo jeito! Mas o gráfico está la cobrando o professor.

  4. Vem falar em prejuízo p o aluno? Como se nós possemos responsáveis?? Estamos vendo alunos receberem reclassificação, pulando de série. !! E vem dizer que nós estamos prejudicando aluno??
    Vejam foram chamados 30 professores para o infantil, faltavam 40 já, sobrou 6 salas das que foram oferecidas, hj inaugurou outra creche, zera fila de espera, sobrecarrega funcionários e professores, não atende as crianças com qualidade, isso o jornal não publica.

  5. Esqueceram de dizer algo importantissimo na reportagem: os professores mesarios solicitam suas folgas e tem aval da direção escolar para tal, não deixam os alunos sem professores, pois são colocados professores substitutos com direcionamento de conteúdo (como nas faltas abonadas). Também esses dias não são obrigatoriamente tirados no decorrer do ano eleitoral. Poderiam, mas também podem ser adiados por anos a fio, não sendo obrigatório desconto imediato. Lembrar também que, além de professores, somos cidadãos, com direito de exercer a cidadania e a dedicação à Pátria. Lembrar principalnente que trabalhamos o domingo das 7h as 17h SEM PAGAMENTO, sendo nosso único abono, as folgas recebidas (2, por domingo)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here