O Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola divulgou que o Brasil tem a segunda maior frota de aviação agrícola do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. Dois dos aviões mais vendidos no Brasil e nos Estados Unidos tem negócios em Botucatu.
A Embraer fabrica e comercializa o ‘Ipanema’ no Aeroporto e a AeroGlobo vende e oferece suporte, peças e treinamento para o modelo americano AirTractor. A sede fica na Vila dos Médicos, próximo ao Shopping Boulevard.
Nos Estados Unidos são 3,6 mil aviões usados na agricultura, enquanto o Brasil tem 2.115 aeronaves, principalmente no Mato Grosso (são 464 aviões), Rio Grande do Sul (427) e São Paulo (312), os maiores compradores de aviões agrícolas do país. Os maiores clientes da Embraer e Air Tractor em São Paulo estão na região de Ribeirão Preto.
De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil, a frota de aviões agrícolas aumentou no ano passado, 1,5%.
Dos 2.115 aviões em uso no Brasil, 59,4% são da marca Ipanema, montados em Botucatu desde os anos 1980.
A Air Tractor representa, segundo o Sindicato Nacional de Aviação Agrícola, 14,3% do mercado nacional.

 

Desde o desenvolvimento do Ipanema há 45 anos, foram produzidos 1.356 unidades. A Air Tractor/AirGlobo, em Botucatu, comercializa os aviões importados dos Estados Unidos e mantém um simulador para treinamento dos pilotos do Brasil e América Latina, alem de estoques de peças para substituição durante as manutenções.
O Air Tractor é um avião com capacidade de carga maior e motorização mais potente que o Ipanema, e vem sendo modificado (a versão AT 802U) para avião ataque leve para forças armadas de diversos países, com aplicações antimotim e contra-insurgência (guerrilha).
Air Tractor é fabricado nos Estados Unidos

Acionistas da Embraer incorporam Neiva e Bradar

No ultimo dia 12 de abril a Comissão de Valores Imobiliários – CVM, divulgou informação de que os acionistas da Embraer – maior parte estrangeiro – aprovou a incorporação da Sociedade Aeronáutica Neiva de Botucatu e da Bradar (empresa do setor de defesa e segurança) à companhia.
A Bradar passou a ser parte da Embraer Defesa e Segurança. Essa empresa produz radares para sensoriamento remoto e a Neiva integra uma das divisões denominada Embraer Agrícola. Em 2006 a Sociedade Aeronáutica Neiva mudou de nome para Embraer Botucatu, onde emprega 1,9 mil pessoas.
As aprovações de incorporações das duas empresas ocorreram no momento em que a companhia negocia a venda para a Boeing. Para analistas, essa incorporação da Bradar e da Neiva pela Embraer é um movimento relacionado ao contexto de reestruturação com vistas à combinação com a Boeing.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.