O Ministério Publico do Trabalho notificou a Embraer e a Boeing Brasil Serviços Técnicos Aeronáuticos, recomendando que as empresas em negociação de fusão de produção, desenvolvimento e vendas, incluam expressamente salvaguardas trabalhistas no acordo para manter postos de trabalho e desenvolvimento no Brasil.
Destacam os membros do Ministério Público do Trabalho, que deverá ser preservado um patamar de empregos no Brasil, para impedir eventualmente os novos controladores da companhia façam a transferência de atividade econômica ao exterior resultando em demissões em massa.
Roque Fabiano, diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu informou que os sindicatos de Botucatu, São José dos Campos e Gavião Peixoto/Araraquara ficaram satisfeitos com a orientação de membros da Justiça do Trabalho.
“Fizemos um encontro no final de abril deste ano. Nós, sindicalistas, ficamos satisfeitos com os pedidos de garantia de manutenção dos empregos no Brasil. O Ministério Publico do Trabalho entendeu os argumentos dos trabalhadores ligados a centrais como Força Sindical, CUT e Conlutas. Há poucas semanas o sindicato dos Engenheiros de São José dos Campos se posicionou  sobre o assunto”, salientou.
Fabiano disse também que os pesquisadores de universidades brasileiras destacaram em evento promovido pelos sindicatos em São José dos Campos, que a venda da fabrica de aviões e suas subsidiárias seria prejudicial não só a economia brasileira, manutenção de milhares de empregos de diversas formações e à soberania nacional.
Miguel Silva, presidente do Sindicato dos Metalurgicos de Botucatu, lembrou que a Embraer continua recebendo dinheiro publico do governo, através do BNDES. “A Embraer desenvolve diversos produtos alem de aviões e somado tudo isso temos a questão da soberania nacional e os empregos, sem dizer que tem muito dinheiro publico investido no KC390 e outros modelos da empresa. Precisamos gerar empregos de qualidade no Brasil”.
“Alem da questão da soberania nacional e empregos de qualidade, queremos manter os empregos em Botucatu, Gavião Peixoto, Araraquara e São José dos Campos. Vamos lutar para defender os empregos na cidade”, destacou José Carlos Lourenção.

CUT E CANDIDATOS

Dirigentes das três entidades sindicais, reunidos em torno da campanha “A Embraer é nossa” estiveram nesta quarta-feira reunidos com dirigentes da CUT de São Paulo e também com o pré-candidato a governador Luiz Marinho, do PT. Antes, já recebeu o documento da Campanha Embraer é Nossa o candidato a presidente Geraldo Alckmin, alem de diversos deputados e senadores.
“As entidades sindicais de Botucatu, São José dos Campos e Araraquara estão se reunindo com lideranças diversas mostrando a nos preocupação sobre a venda da Embraer e o fechamento da empresa no Brasil. Acredito que os encontros foram produtivos”, afirmou Lourenção.
Um encontro está sendo preparado para ser realizado em Botucatu e Araraquara, reunindo vereadores, prefeitos, trabalhadores do setor aeronáutico, lideranças empresariais, sindicais e engenheiros. As entidades estão fazendo os primeiros entendimentos com o presidente da Câmara Izaias Colino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here