O Semanário Oficial do Município publicou no dia 29 de maio duas portarias que interferem no serviço de transporte coletivo de Botucatu e estabelecem critérios para licitação de empresa de ônibus.
O primeiro é o decreto 11.356 que transfere a administração do Sistema de Transporte Coletivo de Botucatu para a Secretaria de Infraestrutura e alterou o quadro de pessoal.
O decreto, número 11.357, regulamenta e estabelece regras gerais da licitação para concessão do serviço regular do transporte coletivo e autoriza a delegação do serviço após licitação que deverá ser anunciada em breve pelo prefeito.
A prefeitura de Botucatu deu publicidade ao decreto que tem mais de 20 páginas. O documento foi publicado na versão digital do semanário oficial no final do mês passado.
O documento tem diversos capítulos que vão desde a organização dos serviços, planejamento, regime de contratação da empresa que vai transportar, exploração econômica da concessão e estabelecem formas de fiscalização da Secretaria de Infraestrutura Urbana, entre outros dados.
A exploração do serviço será de dez anos. O prefeito Mário Pardini propôs que seja possível prorrogação mediante igual período, desde que estabelecidas as regras de interesse do contratante, referente ao interesse publico e a economia do processo.
A frota de ônibus deverá ser composta de veiculo em numero suficiente estabelecido em edital que deverá atender a demanda máxima dos passageiros das linhas sob sua responsabilidade.
A idade da frota deverá ser de dez anos e os microonibus sete anos, contados na fabricação do chassi.
A lei que vai regulamentar a licitação também estabelece regras para pessoas deficiente e com mobilidade reduzida sejam transportadas, inclusive em veiculo adequado.
O decreto do prefeito tem mais de 20 paginas com vários capítulos e centenas de artigos que preveem regras de punição por serviço mal efetuado, acidentes, pagamento de outorgas e custo da passagem.
O novo edital foi publicado por determinação do Tribunal de Contas do Estado que apontou irregularidades no texto anterior.
A questão do transporte coletivo há muitos anos é criticada pelas autoridade publicas e principalmente pela população. Na justiça do Estado, existe um processo movido por empresas e advogados questionando o edital anterior.
A Prefeitura de Botucatu foi procurada para revelar quando será feito o processo de seleção, mas até o fechamento desta matéria não obteve informações na Copel e na Secretaria de Comunicação.

 

(com jornal Leia Noticias)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.