Quem puxou votos em Botucatu?

0
60
Fernando Cury em campanha na Amando de Barros | Foto: Assessoria/Cleber Novelli
Avaliando
Partidários e eleitores de Botucatu querem entender o que aconteceu com a votação de Milton Monti. São várias as avaliações nos meios políticos locais: Um deles está relacionado aos votos sempre favoráveis ao governo de Michel Temer, inclusive na reforma trabalhista. Outros acreditam que ele confiou demais nos apoiadores e políticos da cidade que se comprometeram com a sua campanha.
Votos…
Há muitos anos Miltinho é o líder das votações e neste ano seus votos sumiram na cidade. Há quem diga que de nada adiantou os encaminhamentos em obras como o viaduto e recursos para Unesp, sem um articulador na cidade. O que se fala nas rodas que avaliam a política em Botucatu, é de que houve muita gente querendo sair na fotografia com o deputado, mas que não houve esforço de campanha dos companheiros e aliados na busca do voto.
Comparando
Miltinho sempre esteve entre os mais votados na cidade. Apenas em 2006 ele teve ‘poucos’ votos. Naquela eleição ele conquistou 12,3 mil votos e o campeão das urnas foi o empresário Lourival Panhozzi, com 21,3 mil. Em 2010 foram 16 mil e na eleição seguinte (2014), 21,2 mil votos. Naquele ano Miltinho tinha apoio de vereadores do PR e até do ex-prefeito João Cury que apareceu em out-door e panfletos espalhados pela cidade, com seu irmão Fernando, disputando pela primeira vez, além de vários vereadores, servidores e docentes da Unesp.
Moreira
Muitos da base local do deputado do PR apontam a falta de votos a algum ‘chiado’ que possa ter ocorrido nas relações com o Prefeito Mário Pardini. O entendimento dessas pessoas é a de que o chefe do executivo teria se comprometido em ajudar a campanha de Miltinho, mas na reta final da campanha, no primeiro turno, o prefeito teria fortalecido a campanha de Samuel Moreira, deputado tucano que foi secretário no Palácio dos Bandeirantes, na gestão de Alckmin e é servidor da Sabesp, que conquistou cerca de 4,5 mil votos
Missão cumprida
Quem está satisfeito com o trabalho eleitoral na cidade é o vice-prefeito André Peres. Ele e o professor Pereira, conseguiram grande votação para o deputado Orlando Silva, do PCdoB. Foram mais de 1,2 mil votos. Orlando Silva chegou a ligar para Peres, Fernando e João Cury agradecendo a votação, que contribuiu para a sua reeleição à Câmara Federal. Foi uma das maiores votações de um deputado comunista em Botucatu, nas ultimas eleições. Lecy Brandão, candidata a Estadual do PCdoB teve 66 votos.
Vitoriana
Vitoriana há muitos anos entrou na historia do mapa político de Botucatu por ter sido o único colégio eleitoral da cidade, quando o PT venceu pela primeira vez na cidade, a votar massiçamente no PSDB. Anos depois a historia se repete com Arnaldo Jardim, deputado Federal do PPS, que saiu de Botucatu com 3.010 votos, sendo mais de 600 naquele distrito, fruto do trabalho de Márcio Dada.
Cobra
Embora Izaias Colino, Jamila Cury, Alessandra Lucchesi, sejam campeões de votos como vereadores, Izaias com aproximadamente 2 mil votos na ultima eleição e todos os demais na casa dos mil votos, eles conseguiram emplacar entre os mais votados na cidade, Fabrício Cobra, que teve aproximadamente 500 votos. O ideal para o Fabrício Cobra era ter a votação de vereador, mas voto e voto em qualquer quantidade.
Curys
Fernando Cury se reelegeu com expressiva votação e ajudou à campanha na cidade dos deputados Arnaldo Jardim (PPS) que teve 3.010 votos, Orlando Silva (PCdoB), com 1,2 mil, Luiz Carlos Mota (250) e Jose Anibal (545) entre outros, Falando na Clube FM, o deputado disse que contribuiu com mais de 6,3 mil votos para diversos parceiros de ações políticas na cidade e região.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.