Os problemas políticos envolvendo a decisão de construir a represa do Véu de Noiva continuam e vão parar na Justiça. Na manhã desta terça-feira, 27, o prefeito Mário Pardini anunciou que vai processar o ex-prefeito e dirigente do PDT, Mário Ielo, que teria insinuado no Facebook que o atual prefeito estaria agindo ‘a favor’ da Sabesp, por ser ex-empregado e ainda manter relações profissionais com a estatal, por isso não pressionava a Sabesp para assumir o serviço como concessionário.
“Sempre me portei com ética, respeito e compromisso com a verdade. O debate sobre o assunto foi salutar, envolveu diversas posições e agradeço aos que opinaram e aos vereadores que votaram a favor. No entanto vou me defender de calunias lançadas pelo ex-prefeito que alegou que recebo da Prefeitura e da Sabesp e estaria protegendo essa empresa. Já pedi extratos de meus holerites na Sabesp, minha conta Banco do Brasil e na Caixa Federal e vou oferecer à justiça comprovando que só recebo da Prefeitura. Ele vai ter de se retratar”.
Pardini disse ainda que registrou em cartório, copia da postagem na rede social aonde é feita as “calunias” contra ele. Além disso, o prefeito pediu cópias de sua situação legal no RH da Sabesp e todos os holerites da empresa até inicio de 2017.
“Em 2017, referente a 2016 recebi em março, um dinheiro referente à participação em lucros e resultados da empresa. Fora isso não recebo nada da empresa. A Sabesp não permite que seus funcionários acumulem salários quando prestam serviços ao Estado, União ou Municípios’.
Em uma postagem, Mário Ielo classifica o atual prefeito de mau gestor: “O Prefeito Pardini/PSDB está pedindo autorização dos vereadores para contrair dívida bancária de 93 milhões, pagando 45 milhões de juros ao Banco. Mas o próprio não vai pagar nenhum milhãozinho (337 mil). Quem vai pagar seu desperdício será os 6 próximos prefeitos” provoca.
E o ex-prefeito continua: “Com o valor perdido dos juros, seria possível manter uma UPA / Pronto Socorro por 15 anos (4 novos mandatos / 4 próximos prefeitos). Se o funcionário da Sabesp e Prefeito Pardini reserva-se 12 milhões no orçamento em cada ano de seu mandato, não jogaria fora 45 milhões em juros dos nossos impostos”, conclui.
O ex-prefeito finalizou sua postagem destacando que o deputado Fernando Cury encaminhou emenda de R$ 50 milhões e lembrou que o Município já foi endividado pelo PSDB em R$ 40 milhões na gestão de Pedro Losi.

Polêmicas

A aprovação do projeto de represa da Sabesp, na ultima segunda feira, 26,foi cercada de polemicas. As primeiras polêmicas envolveram o deputado Fernando Cury e o Secretário de Educação João Cury, que nos boatos que circularam na cidade foram apontados como contrários ao projeto e que teriam usado o vereador e presidente da Câmara, Izaias Colino, para não dar andamento no projeto.
O secretário Estadual de Educação João Cury reagiu negando ser contrário ao projeto e esclareceu que ele era favorável ao município buscar outra forma de realizar a obra, como por exemplo, pressionar a Sabesp a participar do financiamento, considerando que ela é a concessionária do abastecimento no Município.
A posição da Sabesp só foi manifestada na semana passada com declaração do diretor de infraestrutura, em nome da presidente da empresa, dizendo que a concessionária teria interesse na obra. Essa posição demorou mais de ano para acontecer, considerando que desde a posse de Pardini, ele vem trabalhando no projeto.
Mesmo tendo apresentado projeto de inclusão no orçamento do Estado, de R$ 50 milhões no dia 6 de novembro, Fernando Cury também foi apontado como adversário. Ele negou as declarações e destacou que tanto ele como o irmão, estavam trabalhando para oferecer uma alternativa ao endividamento da cidade.

 

(com jornal Leia Noticias)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.