Fotos: Botucatuonline
O prefeito Mário Pardini está acompanhando de perto a evolução da documentação do Município, que reivindica no Governo Federal, através do Ministério das Cidades e Secretaria Nacional do Tesouro, recursos na ordem de R$ 50 milhões para construção de um reservatório de água, onde atualmente existe a represa Véu de Noiva, no rio Pardo.
O projeto de Pardini é viabilizar condições para a construção de um grande reservatório, para oferecer segurança hídrica ao município até 2050. O projeto surgiu quando ocorreu a crise hídrica de 2014 e 2015, quando parte da cidade ficou sem abastecimento, assim como indústrias e o setor agrícola.
“Os prazos são exíguos e estou preocupado com o encaminhamento do projeto. Temos de tentar incluir a obra no orçamento de 2019, caso contrário, com o novo governo que toma posse tenhamos de começar do zero novamente”, afirmou o prefeito na semana passada durante entrevistas em rádios da cidade.
Na semana passada Pardini e o Secretário de Administração e Fazenda Fabio Leite estiveram por 3 dias em Brasília, realizando reuniões no Ministério das Cidades, na Caixa Econômica Federal e também na sede do STN – Secretaria do Tesouro Nacional, tentando aprovar o memorial e projeto para construção da represa do Véu de Noiva.
“Meu desejo era retornar na sexta-feira passada para Botucatu com tudo resolvido, mas não foi possível fazer todo o trabalho. Agora estamos trabalhando para ‘hierarquizar’ o pedido de Botucatu nas instâncias governamentais e aguardar a aprovação do projeto. Se não conseguirmos isso ate o final do ano, voltará tudo à estaca zero”, lamentou.
Se o prefeito esta ansioso pelo encaminhamento de Brasília, nesta quinta-feira, 13, ele deve estar ainda mais nervoso, pois vai acontecer a reunião da diretoria da Sabesp com os membros do Conselho de Administração da Empresa, para analisar o pedido de adendo contratual da Prefeitura com a companhia de saneamento, para que ela construa e faça os gastos de construção da represa.
Quando o contrato com a Sabesp foi efetivado, como um dos mais modernos, por conta de inclusão de mecanismos de proteção ambiental e de nascentes, alem de recuperação de lodo de esgoto, não havia sido prevista a obra.
Conforme a expectativa do prefeito Mário Pardini, é quase certo que a Sabesp aceite a proposta de adendo contratual para que ela assuma a construção da obra. A Prefeitura de Botucatu também já encaminhou pedidos de financiamento para o Ministério das Cidades e também CEF. Se aprovado pela Sabesp o adendo contratual, o pedido de empréstimo será transferido para a empresa concessionária de abastecimento e saneamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.