Foto: Amanda Vieira | Jornal de Piracicaba

Reuniões que aprovaram a criação da nova APA no Consema e aves do típicas do Pantanal em mini-ambiente na região envolvendo 6 municípios


O ‘Mini Pantanal’ do Rio Bonito, (também conhecida como Pantanal de Piracicaba) que na verdade envolve 6 Municípios em uma extensa área de 14.057,30 hectares, onde vivem animais em extinção (inclusive o maior primata das Américas) foi transformada em Área de Proteção Ambiental Tanquã-Piracicaba-Barreiro Rico, pelo Governador Márcio França (PSB), no último dia 22 de dezembro. Decreto Nº 63.993 foi publicado no Diário Oficial.
A APA envolve áreas dos municípios de Anhembi, Botucatu, Dois Córregos, Piracicaba, Santa Maria da Serra e São Pedro, que são banhadas pela Represa de Barra Bonita, no Rio Tietê.
Conforme o Decreto do Governador  Márcio França, os objetivos da APA Tanquã-Barreiro Rico são: conservação da avifauna residente, migratória e a biodiversidade aquática; ações de manutenção e melhoria da qualidade das águas e promoção do turismo com bases sustentáveis. Na região do Barreiro Rico também existe uma colônia de pescadores.

Mais de 100 aves, 5 especies de primatas inclusive o maior macaco das Américas

A criação dessa APA era antigo desejo de ambientalistas que identificaram características da Mata Atlântica preservada e ambiente com animais de varias especies, inclusive primatas.
De acordo com o relatório pedindo a criação da APA, a biodiversidade existente no Tanquã-Barreiro Rico, são da Mata Atlântica, com madeiras nobres, como espécies de peroba rosa e jequitibá.
Entre animais, cinco das dez especies de macacos (Primatas) ameaçados de extinção no País vivem na região ambiental recém criada, entre eles o Muriqui-do Sul, considerado o maior Primata das Américas.
Além das aves do micro-ambiente, as migratórias catalogadas são de diversas regiões do Brasil, como Mato Grosso, Goiás e Estados Unidos.
A Fundação Florestal de SP identificou 100 espécies de aves aquáticas que vivem nos leitos do Tanquã-Barreiro Rico-Piracicaba, afluentes do Rio Tietê.
A aprovação da área foi no último dia 13 de novembro, durante reunião do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, mas o pedido de criação vem desde o início da década. Entidades ambientalistas da região de Piracicaba e São Pedro fizeram abaixo assinado defendendo a criação da área de proteção ambiental do ‘mini pantanal’.
A Fundação para a Conservação e Proteção Florestal do Estado de São Paulo – Fundação Florestal, vinculada à Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo vai administrar a APA.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.