Neste mês de janeiro a Vigilância Ambiental em Saúde (VAS) vai promover a Avaliação de Densidade Larvária (ADL), para avaliar o índice de infestação do mosquito Aedes aegypti em sua fase larvária e identificar quais são os recipientes existentes nos domicílios que estão se tornando criadouros destes insetos, em Botucatu.
O último levantamento realizado, em outubro de 2018, apontou que 1,4% dos imóveis visitados estavam com larvas de Aedes aegypti, colocando o Município em sinal alerta para a transmissão das principais arboviroses como dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana.
Outro apontamento foi que 80% dos criadouros de mosquitos eram recipientes existentes nos domicílios e que não poderiam ser eliminados durante as visitas dos agentes, pois são de utilidades dos moradores ou pertencem a estrutura do imóvel, como pratos de plantas, brinquedos, latas, potes, plásticos, calhas, ralos, piscinas, entre outros.
“Os agentes vão visitar imóveis em todos os setores de Botucatu, para fazer um levantamento bem abrangente. Ressaltamos que a colaboração da população é essencial. As pessoas devem abrir suas casas para a visita dos agentes de combate às endemias, pois são profissionais capacitados para identificar possíveis fatores de riscos e coletar as informações necessárias para que possamos traçar as estratégias de ações em prol da saúde pública”, explica Valdinei Campanucci, supervisor de Serviços de Saúde Ambiental e Animal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.