Em Botucatu, todas as equipes de saúde do Município estarão envolvidas neste ano de 2019, promovendo a busca ativa de casos de Hanseníase, com avaliação de contatos e encaminhamento de pacientes para tratamento. No Brasil são registrados 30 milnovos casos por ano dessa doença. Também serão realizadas atividades educativas em salas de espera, aproveitando cada situação de atendimento de usuários nas Unidades de Saúde.
“A transmissão da hanseníase ocorre por meio de contato próximo e contínuo com paciente não tratado. Apesar de ser uma doença da pele, é transmitida através de gotículas que saem do nariz, ou através da saliva do paciente. Afeta primordialmente a pele, mas pode afetar também os olhos, os nervos periféricos e outros órgãos. Por isso, é importante que, ao sentir qualquer alteração, a pessoa procure as unidades de saúde”, afirma André Spadaro, Secretário Municipal de Saúde.
A hanseníase pode provocar graves incapacidades físicas se o diagnóstico demorar ou se o tratamento for inadequado.
Os primeiros sinais da hanseníase são manchas claras, róseas ou avermelhadas no corpo, que ficam dormentes e sem sensibilidade ao calor, frio ou toque. Podem aparecer placas, caroços e inchaços.
Quando afeta os nervos, pode causar formigamento, sensação de choque, dormência e queimaduras nas mãos e pés por falta de sensibilidade, além de falta de força e problemas nos olhos.

 

(com assessoria)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.