Clarita Balestrin
O município de Botucatu foi palco neste fim de semana das 24 Horas Brasil Ride de MTB, prova que coroou os ciclistas Carlos Henrique Paixão e Clarita Balestrin como campeões da edição de 2019, nas categorias individuais.
O evento teve um tempero a mais neste ano, por ser “warm-up” para o Campeonato Mundial 24 Horas Mountain Bike Solo, programado para 27 e 28 de julho, em Costa Rica (MS), realizado pela primeira vez no Brasil.
  • Carlos Henrique Paixão garantiu o bicampeonato do evento, completando 25 voltas (290 km), em 22h34min59seg.
  • Já Clarita Balestrin, atleta de Botucatu, garantiu o título inédito em sua carreira, após dar 17 voltas (197,2 km) no circuito, em 22h32min01.
  • O top 3 da prova solo no masculino teve ainda Rodrigo Lazo (22 voltas em 23h11min23seg) e Marcelo Soares (22 voltas em 23h36min05seg).
  • Completaram o pódio João Vitor (17 voltas) e Raphael Martignoni (15 voltas), em quarto e quinto lugares, respectivamente.
“É sempre muito difícil competir nas 24 Horas. Este ano, tal qual 2018, também foi um grande desafio para garantir mais um título da prova. Uma competição de longa duração como essa exige muito do ciclista. Apenas de estar aqui e completar, já é uma vitória para todos os competidores inscritos. O circuito mudou bastante de sábado (30) para o domingo (30). Parece que ficou mais pesado para pedalar e o sol desta manhã nos deu um cansaço ainda maior”, contou o bicampeão.“Competir no Mundial 24H Solo de Costa Rica será a realização de um sonho. Vamos treinar, fazer força nos próximos meses, para chegar lá e ir para cima dos adversários, em julho”, completou Carlos Henrique, da cidade vizinha Avaré, especialista em provas do gênero.
Na disputa feminina, Clarita Balestrin teve ao seu lado no pódio as ciclistas Giovana Pires (14 voltas), Ana Paula Pereira (12 voltas), Luciane de Almeida (8 voltas em 11h27min23seg) e Suelen Couto (8 voltas e 22h56min38seg).
“Em Costa Rica será outra história. O percurso tem características bem distintas daqui de Botucatu, então é hora de treinar bastante, focando o tipo de pista que teremos no Mato Grosso do Sul, mais rápido e veloz”, disse Clarita.
“Diferente do interior de São Paulo, em Costa Rica de noite esfria bastante. O segredo é manter sempre a cadência e cada volta, e não dormir no período de 24 horas. Quando estive no Pré-Mundial, em 2018, tive o privilégio de pedalar acompanhado por uma Arara Azul. Foi fantástico”, concluiu a vencedora, professora na academia Vidativa, de Botucatu.

Demais categorias

Ainda nas disputas individuais, as 24 Horas da Brasil Ride teve as vitórias de Juliano Geherk, na máster, ao completar 22 voltas, Valteir Alves, na grande máster, com 21 voltas concluídas, e Daniel Domingues, na PNE, após 7 voltas.
Nas duplas masculinas, o título foi do Instituto Brasil Ride/Full Gas, composto por Ítalo Noesse e Sanderson Celso, em 31 voltas, enquanto na mista Daniela de Godoy e Rafael Francisco, Studio Peter, faturaram o título, com 8 voltas completadas.
Entre os quartetos, a equipe 4 Fun Bike Center Specialized, de Márcio / André / Fábio / Valdek faturou na máster, Antonio / Helen / Márcia / Ricardo, da Flash Brasil, venceu na mista, e Edson / Luis / Anderson / Renan, da La Maglia, foi o campeão da open. Entre os sextetos, o campeão foi o CBL MTB Team, formado por Antomilson / Caue / Eliezer / Jackson / Victor / Marcelo.

Balanço positivo

Fundador da Brasil Ride, Mario Roma avaliou a edição de 2019 do evento.
“As 24 Horas de Botucatu foram um sucesso e cumpriram o objetivo de servir como um treinamento importante, de luxo eu diria, para os brasileiros que participarão do Campeonato Mundial 24 Horas Solo MTB, em Costa Rica.Tenho certeza de que teremos vários ciclistas daqui encarando em condições de igualdade as feras internacionais, que virão ao Mato Grosso do Sul, em julho”, resumiu Mario Roma.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.