Viaduto alagado!
O período de verão em Botucatu e cidades da região foi assustador, sob o ponto de vista de ocorrências com danos coletivos e individuais, com registros de alagamentos, quedas de barreiras em estradas, pontes; falta de energia e telefones, entre outros problemas. Foram centenas de casos atendidos pela Defesa Civil, com apoio da Secretaria de Segurança/GCM. Secretarias de Infraestrutura, Assistência Social, Saúde, Fundo Social, Descentralização e Corpo de Bombeiros, entre outras.
Ocorreram repetidos destelhamentos de dezenas de residências no Distrito de Rubião Junior; alagamentos no Viaduto, Rodoviária, próximo ao Asilo, na Vila dos Lavradores, ruas do 24 de Maio e bairros próximos. Neste ano as chuvas fortes e tempestades atingiram com mais intensidade as regiões Sul, Oeste e Norte da Cidade.
Para dimensionar as obras para o ano que vem e reduzir os impactos negativos das chuvas e ventos que derrubaram galhos, arvores e arrancaram telhados de residências em diversos pontos da cidade, a Defesa Civil, Secretaria de Infraestrutura e o Gabinete da Prefeitura de Botucatu estão preparando um relatório de ações emergenciais realizadas nos últimos quatro meses. O documento vai ser apresentado nos próximos dias, conforme informou Lucas Trombaco, da Defesa Civil.
“Vamos apresentar um relatório dimensionando os estragos do ultimo verão. Com isso o prefeito e demais secretários poderão desenvolver ações preventivas para que alguns dos problemas verificados neste ano não ocorram”, explicou o coordenador da Defesa Civil, o GCM Lucas Trombaco.
O Prefeito Mário Pardini comentou que tal relatório vai ser utilizado pela administração para estabelecer prioridades orçamentárias para realização de obras reduzindo problemas de estrutura da rede pluvial onde existir e instalar rede onde não tem.
“Alem disso poderemos priorizar as obras reparadoras antes do período de chuvas”, observou o prefeito

Outono e Inverno com queimadas

A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros já estão trabalhando nas ações preventivas relativas a queimadas no período de outono e inverno, comuns no município de Botucatu, principalmente na área urbana.
Botucatu, por diversas vezes foi apontada pelo INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – como uma das cidades paulistas onde mais tem queimadas em zonas urbanas e rurais, causando riscos para rede de energia, comunicações e risco de rompimento de cabos de alta tensão e perigo de acidentes mortais.
E as queimadas já começaram em Botucatu, aparecendo até em satélites. O INPE constatou na ultima quarta-feira, 3 de abril, queimadas registradas em seus satélites de monitoramento climático e terrestre em Botucatu, Araras, Tambaú e Jaboticabal.
No ano passado foram registrados mais de 80 casos de queimadas na área urbana e rural de Botucatu e 30 proprietários de terrenos foram autuados pela GCM. Um dos pontos mais castigados com queimadas na Cidade é o Morro de Rubião Junior, onde está a Igreja de Santo Antonio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.