Consumidores acumularam R$ 475 mil em inadimplência nos primeiros três meses em Botucatu. É o que consta no levantamento da Associação Comercial e Empresarial de Botucatu (ACEB), tendo por base o cadastro da Boa Vista SCPC. Ao todo, 503 Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs) se apresentaram com algum tipo de débitos em atraso no município.
Fevereiro foi o mês cujos débitos foram maiores, somando R$ 177.404,75 com 198 consumidores apresentando algum tipo de dívida não quitada
Na sequencia vem Janeiro (R$ 155.765,17, com 169 CPFs inclusos no sistema da ACEB)
Março (R$ 142.636,68, com 156 inserções), completando o montante de inadimplência registrada em Botucatu.
No trimestre, débitos com até doze meses lideram o registro de débitos no semestre, somando R$ 451.123,35. Os clientes com até vinte e quatro meses de inclusão no sistema da Associação Comercial / SCPC, foram responsáveis por R$ 23.127,82 em dívidas não honradas, , informou a assessoria de imprensa da entidade..
Neste contexto, as dívidas com até R$ 500 predominam os registros (364), gerando R$ 97.153,59 em débitos não quitados. Dívidas de R$ 501 a R$ 1000 representaram 135 inserções no sistema, representando R$ 92.325,59. Já as contas de R$ 1001 a R$ 2000 foram responsáveis por R$ 84.313,76 em inadimplência.

HOMENS NÃO PAGAM

Por gênero, homens ainda são os que mais possuem dívidas não pagas no comércio botucatuense (374 registros) frente ao consumidor feminino (129). Solteiros (as) detêm o maior número de débitos não-quitados (453) em comparação aos (às) consumidores (as) casados (as), com 50 inclusões ao sistema.
Por faixa etária, os maiores registros ocorrem em consumidores de 31 a 40 anos, acumulando R$ 116.162,17 no trimestre, com 141 inserções, sendo homens os maiores inadimplentes, com 96 negativações. A segunda maior prevalência de inclusões no sistema da Boa Vista SCPC está entre pessoas de 41 a 50 anos, com total de R$ 107.452,71 em 101 débitos com algum tipo de atraso. Novamente, homens são os maiores devedores, com 76 consumidores em atraso nesta categoria.

MAIOR QUE EM 2018

Os números registrados neste primeiro trimestre são superiores ao mesmo período do ano passado, quando empresas botucatuenses deixaram de receber R$ 322.426,99 (crescimento de 47,52%), ocasionando a inserção de 387 CPFs com alguma restrição de crédito.
Alguns pontos são destacados para o aumento da inadimplência, como a retomada do consumo por parte das famílias brasileiras, ao mesmo tempo em que o poder de crédito em praça é retomado. No entanto, o crescimento de dívidas e contas em atraso se deve também ao fator sazonal, já que os três primeiros meses do ano são destinados também para a quitação de impostos e tributos, como IPTU e IPVA; além de gastos extras como a compra de material escolar.

(com assessoria)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.