Dr Geraldo Franco conduz as investigações | Foto Sidney Trovão
Não houve sabotagem e sim negligencia na manipulação dos produtos usados pelos servidores do HCFMB no setor de hemodiálise, segundo divulgou a Policia Civil de Botucatu, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, na Delegacia de Investigações Gerais – DIG.
A diretoria do HCFMB também acompanhou a divulgação dos resultados das investigações. Em meados de março, no dia 16, uma enfermeira identificou reações inadequadas no final do processo de limpeza dos equipamentos usados no tratamento de doentes crônicos dos rins. Era um ácido usado na limpeza de equipamentos clínicos, que se entrasse no corpo dos pacientes poderia provocar a morte de dezenas de pessoas.
Segundo o delegado responsável pelo caso, Geraldo Franco, os funcionários envolvidos no trabalho da hemodiálise serão ouvidos novamente.
“Não houve nenhum tipo de sabotagem no sistema ou na substância. O que ocorreu foi um problema de manipulação equivocada da substância naquele momento. A investigação formou uma linha do tempo e ao analisá-la com os funcionários que identificamos e participaram desta cena. Entendemos que não houve intervenção de terceiros, tampouco problemas no equipamento”, salientou o Dr, Geraldo Franco.
Conforme adiantou o delegado da DIG, dois funcionários ( que não tiveram seus nomes revelados na coletiva), foram vistos no circuito interno de segurança e prestarão novos depoimentos para estabelecer as condutas dos servidores.

SINDICÂNCIA

O diretor superintendente do HCFMB Andre Balbi, informou que vai abrir sindicância interna e aplicar a penalidade prevista para o caso.

“A segunda parte da investigação, com abertura da sindicância para apurar o que aconteceu de fato. Serão aplicadas as penalidades previstas no caso”

(com Radio Clube FM)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.