Por Isadora C. Campos

Há tempo, muito tempo longe dos punks, ouvi dizer que o Dead Kennedys -DK-, uma das lendárias e pioneiras bandas de punk rock com letras engajadas, anarquistas, provocadoras, encarando o conservadorismo americano, cancelou sua apresentação no Brasil por causa do cartaz que foi produzido pelo artista plástico Cristiano Suarez.

No dia 22 de abril, um poster divulgando a turnê brasileira do Dead Kennedys, tinha predominância do amarelo com desenhos característicos do artista plastico e ilustrador, mostrando uma família de personagens do palhaço Bozo, com camiseta da Seleção Brasileira, segurando rifles, sorrindo e um ‘garoto’ dizendo amar ao acordar sentir cheiro de pobres mortos pela manhã.

Em primeiro plano tanques de guerra e ao fundo montanhas e morros com favelas em chamas em um amanhecer. Cartaz foi exibido na fã page do show e no instagram do ilustrador.

Cristiano Suarez é um craque no seu setor. Fez ilustração de cartaz para apresentações de turnês de bandas como Desert Crows, Natiruts, L7, Eletric Frankenstein, Pennywise entre outras.

Todas de hard ou punk rock, portanto ele saber ler todas as entrelinhas do nicho cultural e economico.

No mesmo dia a banda, dos Estados Unidos, emitiu uma nota informando não ter aprovado o cartaz, reagindo a algumas críticas por interpretações de que a família de palhaços Bozo era a família presidencial brasileira.

Ok, pessoal; o promotor no Brasil realmente não soube como gerenciar as coisas da forma correta. Sem nos contatar sobre o assunto, ações estúpidas foram tomadas e que fizeram com que os pregadores de ódio se manifestassem por todos os lados. Mesmo assim, nós consideramos que o pôster ficou bem legal e nós concordamos com a ideia; as consequências criaram uma situação bastante perigosa para nossos fãs que frequentam nossos shows. Nós nunca colocamos nosso público em risco, visto que isso não representa o que somos. Por esta razão, infelizmente estamos bastante tristes em informar que a banda não mais poderá tocar no Brasil este ano; sentimos que esta é realmente a única alternativa de manter as pessoas seguras. Nós faremos uma doação da porcentagem dos rendimentos que nos foram antecipados para uma instituição de caridade.
– Dead Kennedys

 

Em entrevista ao Estadão e a Radio Rock, Cristiano Suarez negou que o cartaz da forma como foi divulgado não teria sido aprovado pela celebrada banda. Ele afirmou que a ideia era questionar o comportamento de parte dos brasileiros com a imagem.

ANARCO PUNK

Mesmo quando deixou de existir por um tempo e voltou, a alma do Dead Kennedys sempre foi Jello Biafra que até julho de 2019, têm 60 anos de juventude e rebeldia. As musicas que o DK apresentaria era maior parte de Jello Biafra.

Mesmo assim quem aprecia música com letras e atitudes engajadas do rotulado anarco punk rock, como era a alma do Dead Kennedys, se esforçaria para ir até o local do show. De quebra iria encontrar grandes lendas do rock nacional entrando na mesma casa de espetáculo.

Apesar da onda de protesto pelo cancelamento do show, com desculpa juvenil “para descer no playground para brincar”, não podemos esquecer que Dead Kennedys não é Dead Kennedys sem Jello Biafra. Tem sonzeira, mas não tem o coturno do DK-punk rock root.

Jello Biafra depois que deixou DK, continuou incomodando, não tirou o coturno do pé, das ideias e da alma. O DK voltou tocando, e bem como cover de uma marca mítica.

Afastamento de Jello e o DK foi definitivo, quando a Levi’s negociava a cessão de uso de uma das músicas da banda e Jello não cedeu os direitos autorais. Motivo: Ele não concordava com a forma como a empresa tratava seus funcionários em diversas fábricas nos EUA e exterior.

Depois da separação Jello Biafra adicionou à sua biografia uma vida trilhada de ‘coturno e tênis’, com passagem em condenações judiciais; já puxou cana, participou de todos os protestos dos anos 1980 e 1990, 2000 e até hoje está na ‘luta’ e no palco, quase de bengala para o punk rock, mas está lá, arrastando o surrado corturno e suando a camiseta encardida!

Participando de ações aqui e ali, decidiu se candidatar ao cargo de Prefeito de São Francisco, EUA. Entre os 10 candidatos daquela eleição, foi o quarto mais votado pelo Partido Verde Americano.

Jello Biafra não arregaria ao chiado de quem sempre chiou como disciplinador da senzala.

Jello Biafra, diz o livro “Barulho – Uma Viagem Pelo Underground Do Rock Americano, da Editora Pauliceia, era nascido em uma família que estimulava a leitura e a opinião. Desde criança se interessou por assuntos de política nacional e internacional, levando então às letras engajadas que inspiraram legiões de fãs e  bandas de hard rock importantes.

A banda DK até mereceria a ‘viagem’ para SP para o show. Querendo ou não ficamos sem o melhor cover do Dead Kennedys por causa de um cartaz da família de Bozos.

Quem quiser saber mais sobre Jello Biafra, que continua trabalhando com Jello Biafra and the Guantanamo School of Medicine e tem sido assim, como nessa apresentação na Colombia em 2016 :::

Por: Isadora C. de Campos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.