P600 da Embraer Defesa e Segurança foi lançado na França
A produção aeronáutica de Botucatu deve continuar forte nos próximos anos, graças a possibilidades de negócios no setor civil e militar. A Nova Embraer com a Boeing anunciou a venda de 35 aviões para a Holanda e a Embraer Defesa e Segurança que se mantém ‘nacional’ com participação minoritária da Boeing, lançou seu primeiro produto para o mercado de vigilância e segurança militar.
A Embraer foi dividida em duas, sendo que a linha de aviões de passageiros foi vendida para a Boeing americana que detém 80% do negócio e a Embraer 20%. A linha de aviões militares e agrícola foi mantida com a Embraer (80% e Boeing 20%).
A única preocupação é a posição da China que pode questionar em cortes internacionais a concentração do mercado aeronáutico mundial. A compra da Embraer deve ser finalizada até o final do ano.
.

NOVO AVIÃO DE DEFESA ANTECIPADA

Na França, a Embraer Defesa e Segurança (EDS) lançou seu primeiro produto depois da divisão com o setor de aviação civil comprada pela Boeing.
O produto é um avião birreator de vigilância a partir da plataforma do Praetor P600, que será equipado com radares de alerta antecipado e inteligência, que tem capacidade de voar mais de 800 km, com autonomia intercontinental. O avião tem 20,7m.
Os equipamentos de radar e inteligência serão fornecidos pela Embraer Defesa e Segurança e a israelense Elta Systems, que assinou contrato na feira de aviação francesa.
A Elta é uma subsidiária da Israel Aerospace Industrie (IAI). Serão usados equipamentos de 4º geração. A IAI tem negócios em parceria com a Avionics em Botucatu, no desenvolvimento de um drone para a Policia Federal e Forças Armadas.
O radar será instalado em um casulo sobre a estrutura do avião e será capaz de cobrar um raio de 360 graus e antecipar alertas e propor reações em menos de 10 segundo, contra amigos e identificar aeronaves civis do país durante a vigilância de fronteira.
O equipamento é semelhante ao usado pelo Brasil e vendido para diversos países, inclusive a Índia, Grécia e México, o EMB 145 AEW&C.

35 JATOS DE PASSAGEIROS

A Boeing Brasil/Embraer anunciou negócios que podem chegar a 35 aviões para a empresa holandesa, KLM Cityhooper.
A unidade Embraer Botucatu, na nova formatação das fabricantes Boeing Brasil/Embraer, vai ter muito trabalho pela frente. Já fora confirmados 15 aviões 195E2, além da opção de compra de outras 20 aeronaves em breve.
O negócio, se confirmar, pode alcançar a cifra de US$ 2, 48 bilhões. A KLM Cityhooper é uma das maiores operadoras da Embraer na Europa.
Esse modelo, segundo a empresa tem menor ruído e economia em relação a modelos anteriores da Embraer e concorrentes.
A KLM é a quarta empresa que inicia processo de compra do novo modelo. As outras são Azul (Brasil/51 aviões), Air Peace/Nigeria. Binter Canárias/Espanha.
Antes a Embraer já tinha anunciado contrato assinado com a United Airlines para a venda de até 39 jatos E 175,

A NOVA EMBRAER VALE QUANTO?

O site Moneytimes.com publicou uma reportagem tendo como base análise do banco americano de investimentos, Merril Lynch/Bank of America:
“A nova Embraer deve se tornar uma empresa de US$ 4 bilhões e margem de 8% a médio prazo. A administração não espera novos programas de desenvolvimento, já que eles se concentram em colher lucros de investimentos bem-sucedidos anteriores”, diz o documento.
Atualmente a Embraer está avaliada em US$ 3,55 bilhões (R$ 13,7 bilhões).

(Com informações da assessoria e site Money Times)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.