Pardini discursa em evento com governador, no mês de abril | Foto Arquivo
Diversas obras federais em Botucatu correm o risco de serem paralisadas, caso a União não efetue o pagamento de medições de serviços já realizados pelas empreiteiras, como parte dos apartamentos do Residencial Cachoeirinha, piscinões, pavimentação asfáltica de diversas ruas, entre outras obras.  
Até o momento, conforme atestou o prefeito Mário Pardini, as obras não foram paralisadas devido aos atrasos, mas estão em ritmo mais lento. O encontro vai ser em Brasília, no dia 18, próxima quarta-feira. Pardini também vai se encontrar com o deputado federal Samuel Moreira (PSDB) para discutir a liberação de recursos para pavimentações de diversas ruas pela cidade.
“As empresas estão fazendo um esforço muito grande para não paralisarem as obras, por isso terei um encontro no Ministério do Desenvolvimento Regional para tentar sanar esses problemas”, afirmou.
Conforme apurou a reportagem na Prefeitura, estão com atrasos nos repasses dos recursos de serviços já realizados, parte dos apartamentos do Cachoeirinha (os blocos 3 e 4) e os Piscinões, inclusive o da Marechal Rondon. As obras em atrasos de pagamentos não foram paralisadas, porém o ritmo foi reduzido. Além disso, o prefeito quer agilizar a liberação de recursos das obras já licitadas de 2 piscinões de contenção de água para redução de enchentes.
“A reunião será no dia 18, para tratar de desembolso de recursos para obras com financiamento do Governo Federal que tem sofrido risco de descontinuidade como o Residencial Cachoeirinha. Vamos entregar os primeiros 252 apartamentos do Cachoeirinha 2, neste final de semana e o  Cachoeirinha 1, em outubro, com 500 apartamentos. Os 500 apartamentos dos blocos 3 e 4 do Cachoeirinha, as obras não paralisaram, mas estão em menor ritmo por falta de pagamento das medições Governo Federal. Essa é uma pauta”, afirmou. O Residencial Cachoeirinha tem 999 apartamentos em fase de conclusão.
A outra pauta do encontro do prefeito em Brasília com o Ministério do Desenvolvimento Regional e o deputado Samuel Moreira é o repasse de recursos para iniciar as obras dos piscinões do Córregos do Tenente e Antártica, além de pavimentação de ruas e avenidas.
“A outra reunião é com o deputado Samuel Moreira. Licitamos duas lagoas contenção, os piscinões no Córrego do Tenente e Córrego Antártica, já temos as empresas vencedoras da licitação prontas para iniciar o serviço e não conseguimos fazer, pois o Ministério não depositou o s recursos para iniciarmos as obras. O deputado Samuel Moreira fez repasse de R$ 1,5 milhão para pavimentação em Botucatu, já licitamos, temos empresa contratada, mas não podemos iniciar o serviço por falta do repasse”.

CONFIANTE E NO LIMITE 

Apesar dos atrasos dos pagamentos, o prefeito Mário Pardini disse confiar na retomada dos pagamentos da União e creditou os atrasos do momento às questões pontuais, mas salientou que não acredita na suspensão de obras dos apartamentos, asfalto e piscinões, devido à contenção de recursos anunciado pelo governo. 
“Tudo tem limite lógico, mas o Ministério e o Governo vêm sinalizando com a regularização dos pagamentos. As empresas estão cientes dos problemas e dificuldades que o Governo Federal está passando, ela tem reservas (financeiras) e sabem que o governo muitas vezes atrasa 45 a 60 dias os pagamentos. Por enquanto temos conversado e administrado essa situação e imagino que não devemos ter obras paralisadas, mas tudo tem um limite. Se o governo não sinalizar com pagamentos, imagino que poderemos ter de administrar uma crise de uma obra ou outra paralisada”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.