Foto: Cintia Antunes 3S Projetos

Nesta quarta-feira (2 de outubro), a cidade de Barra Bonita recebe a peça teatral infantil “Lago, Laguinho, Lagão”, que mostra, de forma lúdica e divertida, a importância da preservação da água através das artes cênicas e de recursos de linguagem como a rima, o repente e o improviso. As apresentações acontecem às 10h e 13h30, no Anfiteatro Dr. Alberto Arradi, e têm entrada gratuita.

Buscando desenvolver nas crianças o senso crítico sobre os problemas do meio ambiente e da preservação da água para a sobrevivência da biodiversidade, a peça “Lago, Laguinho, Lagão” vai proporcionar momentos de diversão e conhecimento. A peça é dividida em dois momentos, no primeiro, somos apresentados a três sapos contadores de lorotas, o Mini Trovador, Médio Tagarela e Max Barulhão.

Cada personagem tem uma personalidade distinta: Mini Trovador vai contar histórias divertidas no formato de repente e trova, resgatando essa expressão cultural para a criançada; Médio Tagarela levará truques de mágica e de interpretação vocal, para desenvolver um discurso dramático e teatral; já Max Barulhão utilizará recursos do teatro de rua para desenvolver efeitos especiais como cuspir fogo, equilibrar-se sobre pernas-de-pau e executar a trilha sonora da peça. Juntos, os personagens levarão uma mensagem de conscientização sobre a vida no planeta Terra e o elemento água.

A plateia tem participação ativa nessa dramatização, ajudando a definir as situações pelas quais os personagens irão passar. É um momento de integração e cumplicidade entre público e plateia, que busca fixar melhor os ensinamentos sobre o tema abordado.

No segundo momento, o público vai embarcar em uma aventura pela Aldeota dos Lagos, onde existe um laguinho, um lago e um lagão, onde moram um sapinho, um sapo e um sapão. O sapão quer aumentar seu poder e por isso cria uma máquina de purificar água, com o objetivo de ficar muito rico. Ele se oferece para purificar a água do laguinho e do lago.

O sapinho não aceita sua proposta, ao contrário do sapo, que concorda com o novo empreendimento e tem sua água engarrafada e vendida, ficando sem lago, e consequentemente tendo que se mudar para o laguinho. A dramática tem a proposta de abordar a distribuição de recursos naturais e sua preservação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.