Fernando Pascussi é presidente do Sindicato dos Servidores Municipais | Imagem -Internet|
Um novo encontro vai acontecer nesta sexta-feira, 4, às 11 horas da manhã, para encontrar uma solução que possa solucionar o problema do pagamento do Vale Alimentação dos servidores municipais aposentados e pensionistas, que varia de R$ 590 a R$ 690. A ideia é ajuizar uma ação garantindo o beneficio.
O TCE determinou que o município deixasse de pagar o vale, sob-risco de suspender repasses e processos contra o prefeito municipal.
“Vamos fazer um encontro com os jurídicos do Sindicato e da Prefeitura para definirmos o encaminhamento judicial da questão. A ideia é ajuizar a questão para tentar garantir os pagamentos” informou o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Fernando Pascussi.
Desde junho a Prefeitura, o Sindicato dos Servidores Municipais estão buscando uma solução para o problema. O prefeito Mário Pardini (PSDB) disse à reportagem que é preciso encontrar uma solução, pois existem centenas de pensionistas e aposentados que ganham salários baixos e o vale alimentação ajuda a manutenção das famílias.
“Isso está me deixando muito preocupado. Posso dizer que em minha vida profissional, seja na Sabesp ou na Prefeitura, nunca vivi uma situação igual a essa, Vamos ter de encontrar uma solução para esse problema, tem muita gente que pode passar a enfrentar dificuldades. Já pedi à Secretária da Assistência Social um levantamento completo de nossos servidores e nos colocaremos a disposição para auxiliar em eventuais problemas até termos uma solução”, destacou o prefeito.
Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, o vale alimentação foi criado em 2003, como forma compensatória salarial que na época era conhecido como o “se vira nos 30”.
Em 2005 houve o encerramento desse pagamento, mas em 2009, foi recriado, junto com o vale saúde. Em 2009 quando ocorreu a reforma administrativa, o servidor pode optar entre o vale alimentação e o vale saúde. A maioria dos aposentados e pensionista optou pelo Vale alimentação.
Porém, com a reforma administrativa em 2012 quando os servidores já haviam optado por um dos dois vales, o TCE alertou ao município para cessar o pagamento do vale alimentação, considerando a existência de uma sumula do STJ, determinando o não pagamento dos vales alimentação para os aposentados.
A Prefeitura argumentou que o vale não era beneficio e sim compensatório salarial e desde então há divergências com o órgão.
“Desde então a Prefeitura vem argumentando judicialmente que o vale foi incorporado nas negociações salariais, pois quando foi criado em 2003, tinha esse caráter salarial compensatório”, salientou Pascussi.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.